Mensagem de seis anos de Vida Episcopal

Dai graças ao Senhor porque Ele é bom, eterna é a sua misericórdia”.

No dia 15 de setembro de 2012, na cidade de Barbacena, diante de uma grande multidão de fiéis, dos irmãos diáconos, presbíteros e bispos, Deus me concedeu a graça de receber das mãos de Dom Geraldo Lyrio Rocha a sagração episcopal. Grande dom de Deus! Poucos meses antes, o Papa Bento XVI me nomeou bispo da querida Diocese de Leopoldina, notícia que me trouxe grande surpresa, visto que nunca tinha pensado ou sonhado com a possibilidade de ser um sucessor do apóstolo Pedro. Seis anos se passaram! Olhando para o percurso feito até o momento e fazendo uma releitura espiritual de tudo que aconteceu, vejo que só tenho que agradecer imensamente a Deus e à igreja por terem me confiado esta missão tão árdua, tão exigente, mas tão gratificante do episcopado.

Durante estes seis anos de exercício do ministério episcopal na Diocese de Leopoldina, pude contar com a preciosa e fiel colaboração do clero (padres e diáconos) e dos fiéis leigos e leigas. Numa experiência eclesial marcada fortemente pela busca de comunhão e da participação, tendo Jesus Cristo como nosso grande mestre e guia, pudemos juntos dar a nossa contribuição para a construção do Reino de Deus nesta querida diocese de Minas.

Durante estes seis anos de exercício incansável do ministério episcopal nestas terras abençoadas, pude ordenar para a nossa igreja particular 14 novos sacerdotes, incluindo o que será ordenado dia 27 de outubro, e 6 padres religiosos. Quanta alegria experimentei nas celebrações Eucarísticas de ordenação destes nossos irmãos. Para o bispo, é muito gratificante poder constituir novos membros para o serviço do senhor através do ministério sacerdotal. Tive também a graça de fazer 42 visitas pastorais, momento forte de contato com o nosso povo piedoso e sofrido, mas também de comunhão fraterna com os párocos, administradores paroquiais e vigários paroquiais. As visitas pastorais, apesar de serem exigentes por causa da extensa programação, sempre me trouxeram grande alegria. É no meio do povo que me sinto mais pastor, a exemplo de Jesus Cristo, o bom pastor. Sinto grande prazer em estar no contato pastoral com os cristãos leigos e leigas e com o clero da nossa Diocese.

Pude ainda reformar o centro de pastoral Dom Reis, graças à ajuda do clero e de todo povo de Deus, reformar também a cúria diocesana e a residência episcopal. E agora, estamos reformando o nosso Seminário Nossa Senhora de Guadalupe, sempre contando com o empenho dos nossos padres e de todo povo de Deus.

Momentos especiais na minha vida de bispo foram as experiências de encontros, formação e retiro espiritual em Roma. Chamo a atenção, de modo especial, para o último retiro feito com quatro irmãos bispos do Brasil e mais vinte e cinco irmãos no episcopado de outros países, no período de 20 de agosto a 02 de setembro deste ano. Foi uma experiência muito rica e forte de comunhão eclesial. No dia 03 de setembro, tive a grata satisfação de participar da audiência com o Santo padre, o Papa Francisco, e de almoçar com ele. O contato mais próximo e filial com o nosso querido Papa Francisco renovou a minha vocação e me motivou a renovar, com novo ardor, o meu compromisso episcopal. No contato pessoal com o Papa Francisco, pude perceber o grande amor dele à Igreja e a humildade com que ocupa a cadeira de Pedro, em Roma. Homem de profunda simplicidade, mas de grande alegria e espírito de amor à igreja e aos bispos.

Diante do Papa Francisco, observando as suas atitudes e o seu jeito paterno de ser, não tive dúvidas de que escolhi o lema certo para o meu episcopado, “Servus inCaritate” (servo no amor). Observando o Papa Francisco, fiquei ainda mais convencido de que não há sentido assumir o ministério episcopal a não ser por amor a Jesus Cristo, para servi-lo no amor e na caridade. Por isso, neste sexto ano do meu ministério, quero renovar o meu compromisso diante de Deus e da igreja de Leopoldina de ser sempre mais discípulo-missionário de Jesus Cristo, servo no amor e na caridade.

Aproveito a ocasião para manifestar a minha gratidão a Deus, aos meus familiares, à Arquidiocese de Mariana, origem da minha vocação e, de modo especial, quero manifestar um agradecimento muito especial a todos da Diocese de Leopoldina: padres, diáconos, religiosas (as), vocacionados e seminaristas, cristãos leigos e leigas. Rogo a todos que rezem por mim para que eu continue sempre fiel a esta missão que Deus me confiou. Muito obrigado a todos! Recebam as minhas bênçãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *